Nosso mochilão – Resumão

Nosso mochilão – Resumão

Oieee.!!! Fazer mochilão é a melhor coisa do mundo!!!! Mas, senta que o post é grande, pra você se animar e organizar sua viagem.

Como já falei em outro post, nós não tínhamos experiência em fazer mochilão. Mas como era uma meta da minha lista de metas ele tinha que acontecer.  Pesquisamos muito, principalmente porque a viagem era para Bolívia e se você pesquisar no google vai ver muitas referências ruins sobre mochilões na no país. Conosco foi diferente como falei aqui no Bolívia não é só perrengue.

Passamos 30 dias em Santa Cruz de la Sierra cumprindo alguns compromissos pessoais. Mas, tivemos a oportunidade de conhecer alguns locais como o Zoológico, Museu Guarani, Museu histórico e o Fuerte Samaipata, que fica na cidade de Samaipata, umas três horas de Santa Cruz.

Mas, vamos de mochilão na Bolívia!

Saímos de Santa Cruz domingo as 18h mais ou menos rumo a Sucre. Viajamos de Ônibus leito. Vale lembrar que os ônibus não são a melhor coisa desse do mundo. Por isso, se certifique que pelo menos tenha banheiro!! Alguns tem até wifi, mas é raridade. Viajamos a noite toda. A estrada é bem sinuosa e passar mal é de praxe pra mim.

 

Outra coisa importante a se dizer, é que a altitude é dolorosa para quem não está acostumado. Viajar aos poucos, ou seja ir subindo de cidade a cidade é uma boa alternativa para se adaptar a altitude.  Tomar o Soroche Pil ( remédio para altitude) a cada 8h me ajudou muito.

Sucre

Chegamos em Sucre pela manhã e me apaixonei.  Cidade limpa e branca. Por causa de uma lei a maioria das construções tem suas paredes pintados de branco. Ficamos dois dias em Sucre, tempo suficiente para conhecer diversos lugares e comer a Hojarasca.

Hojarasca: biscoito feito de farinha e recheado com doce de leite. Uma delícia que só tem em Sucre.

No primeiro dia conhecemos o Mirante Ricoleta, de onde podemos ver boa parte da cidade falei sobre ele aqui.

Depois o Cemitério de Sucre. Sim, o cemitério é um ponto turístico, post sobre ele aqui.

E a noite a cidade é bem movimentada no centro. Ótimo para dar um rolê.

No dia seguinte, visitamos a Fabrica de Chocolates Parati, não pode ser fotografada. A visita é rápida e precisa ser agendada. Partimos para o Museu Cretácico , falei dele aqui e depois para o Castelo da Glorieta nesse post.

Quase no final da tarde fomos ao Museu do tesouro, que também não pode ser fotografado. Ali conta a história das riquezas da Bolívia. Falo se pedras preciosas como a bolivianita entre outras. Vale muito a pena!

Em Sucre dormimos em um residencial ( uma pousada) com café da manhã. Sobre valores, falei sobre eles em alguns dos posts citados.

A noite partimos para o Uyuni

Uyuni

Chegamos as 4h da manhã com -8 graus. Isso mesmo que você leu 8 graus negativos.

 

Graças a alguns amigos, tínhamos o contato de uma pessoa que nos deu hospedagem e café da manhã antes dos passeios. Mas isso não é comum. Normalmente você chega as 4 da manhã e fica em um Café. Lá você pode comer, descansar e aguardar o horário do passeio que começa entre 9 e 10 horas da manhã. Tudo pago à parte.

Começamos o tour no deserto de trens. Um deserto com trens que foram usados na mineração inclusive na época que encontraram muitas bolivianitas que estão expostas no Museu do Tesouro. Bem legal pra tirar fotos. O frio já não era tão intenso.

A próxima parada foi o Salar do Uyni. O lugar mais lindo que já vi na minha vida! Conto sobre ele aqui.

La Paz

Saímos no mesmo dia por volta das 10 horas da noite. Seguimos para La Paz. O ponto mais alto que chegamos.  Assim que chegamos deixamos a bagagem no porta volumes, cerca de BOB10 o dia todo. Bagagens, mochila de couro, skate, tem de tudo nesses porta-volumes. E partimos para o Chacaltaya, como contei aqui.  A idéia era conhecer a laguna Colorada depois mas, pra variar não me senti bem, porque era muito alto. 5.ooo metros de altitude. Após o Chacaltaya encontramos uma pousada e a noite já estávamos por aí. No dia seguinte, fomos andar de teleférico, é tão alto que me senti em um parque de diversões, ótimo pra conhecer a cidade. Depois vamos as compras, porque se você quer pagar barato, amiga…. vai pra La Paz!

Cochabamba

A noite partimos para Cochabamba. Ela não estava no roteiro, mas, decidimos rever uns amigos e fomos pra lá. Deu pra conhecer um mirante lindo! Amei a visita. E a noite deu até pra comer pizza com os amigos. No dia seguinte logo cedo voltamos de avião para Santa Cruz, afinal nossa bagagem maior estava lá.

 

Resumo

Domingo: partiu Sucre no fim da tarde

Segunda: Sucre o dia todo

Terça: Sucre durante o dia e viagem a noite para Uyuni

Quarta: Uyuni durante o dia e viagem a noite para La Paz

Quinta: La Paz o dia todo

Sexta: La Paz  ( compras) e a noite viajamos para Cochabamba ( de avião ).

Sábado: Cochabamba o dia todo

Domingo: Cochabamba pela manhã e voltamos para Santa Cruz ( ainda fomos a uma festinha com os novos amigos).

Segunda: Voltamos ao Brasil

Valores: Gastamos R$600,00 reais por pessoa, de santa Cruz até Cochabamba. Todos os trajetos foram feitos em ônibus leito, exceto o voo de Cochabamba até Santa Cruz. Esse valor inclui pousadas e passeios turísticos. Não contabilizei a alimentação pois, na maioria das vezes a pousada fornecia.
As compras também foram ítens à parte.

Dá uma olhada nos posts marcados no texto para conhecer os detalhes da viagem.

Que venha o próximo mochilão!!!

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.